Atendimento em Maternidade em Manaus

Queridas mamães

É com grande pesar que relato esta história vivida por mim, há um mês atrás. Presenciei e vivi coisas absurdas, desumanas e verdadeiro atentado contra a vida e integridade das pessoas.

Meu objetivo com o depoimento abaixo é conscientizar a sociedade Manauara que devemos ter Respeito ao próximo sempre e independente do lugar e situação. Em hospitais, esta deveria ser a diretriz maior das pessoas que ali trabalham.

Acompanhei minha irmã em seu parto, numa grande e famosa maternidade da cidade, infelizmente não citarei. Mas conforme relatos de outras amigas e conhecidas, de fato o atendimento e prestação de serviços desta Maternidade é o pior. O seu parto não foi dos mais fáceis e a mãe teve umas complicações durante a cirurgia. Seu bebê teve que ir para UTI Neonatal e ela teve sua bexiga furada….deixando estes contratempos e absurdo para posterior comentário, voltemos ao atendimento pós-cirúrgico. Considerando o parto difícil, e o “favor de cortarem a bexiga de minha irmã”, de longe percebemos que ela não era uma puérpera comum. Necessitava de cuidados maiores em seu pós-parto. Mas isto não foi observado pela equipe de enfermagem que fez ao se formar um lindo e comovente discurso na sua colação de grau. Muito menos pela famosa e ilustre maternidade construída por médicos de renomes na cidade, que zelam pela vida e também proferiram belíssimos discursos de amor à profissão.

A ala da UTI Neonatal, o corredor dos apartamentos estavam numa poeira tenebrosa, um barulho medonho, pois estava em reforma o andar. Mas tudo em pleno funcionamento. E um vai e vem de trabalhadores da obra, do hospital, visitantes, etc…uma feira e não uma maternidade.

Na sua primeira noite na maternidade, uma enfermeira histérica entra no quarto com uma dose cavalar de grosseria, às 23:30 da noite, exigindo que fosse providenciada a documentação e pagamento da internação do bebê na UTI Neonatal. Ameaçando em tom elevado e agressivo, não dar a medicação necessária ao bebê naquela noite caso necessário. Pois, assim não teria como localizar a criança no sistema da UTI e assim registrar a medicação dada…..Após discutir com minha irmã sobre esta burocracia e desumanidade…falou com o pai da criança e exigiu o mesmo, num tom arrogante, agressivo e criminoso…

Na manhã seguinte, minha irmã com sonda e sangrando mais que uma parturiente normal, teve a grata notícia que não poderiam trocar a roupa da cama. Pois houve um problema com a lavanderia e não tinham roupa limpa para a cama…..e o risco de infecção hospitalar e outros???

Na hora do primeiro banho, uma enfermeira sem nenhum tipo de gentileza ou empatia, ordenou que a mesma levantasse e tomasse seu banho. Ou seja, recebeu uma ordem para tomar um banho sem qualquer acompanhamento de enfermeira. Resultado, a parturiente que não era uma parturiente comum, desmaiou no banho……e aí como ficam as pessoas que a amam? e o recém-nascido não precisa da mãe? e o dinheiro que ela deixou na maternidade? e o respeito ao próximo?

Como minha irmã ficou de sonda, e teve que fazer sua higiene sem qualquer acompanhamento profissional, a sonda saiu do lugar…..e nenhuma enfermeira sabia dizer o porquê? ah a médica é a responsável? ah mas esta também não sabia porque?….. 05 anos de estudo, residência, estágios…etc…

Depois que o bebê foi para a UTI, outra novela. Notícias da criança?…1 vez ao dia e depois de muita insistência….isso deveria ser fato automático, mandatório, no mínimo 03 vezes, e é pouco. Ah a pediatra é responsável, ….prefiro não comentar.

lá pelo 3º dia de internação na UTI Neonatal, resolveram prometer que o bebê iria para o quarto após o almoço para mamar de 03 em 03 hs, sob observação para sua liberação definitiva da UTI. 12hs, 13hs, 14hs…..17hs, 18hs…20:45, eu e minha mãe resolvemos ir até a UTI para saber se estava tudo bem com o bebê, pois o dito pela pediatra não foi realizado. Mas ao chegar lá, um deserto…de repente uma “educadíssima” enfermeiro pergunta: “O que vocês querem?” e diz que vai chamar a responsável, depois de uns 10 minutos de cara feia, isto é normal por aqui, aparece uma “enfermeira” que diz que: ” o bebê não foi porque estava mamando super bem o complemento no copinho……”

Depois desta frase,….fui no chão….não sei em que mundo estamos…não sei qual o futuro desta humanidade….e desta cidade muito menos….

Ouvir e ver coisas que vivi nestes dias foram …. deprimentes…. boa sorte a quem terá que passar por lá…rezem muito porque só Deus nos salva destes monstros….

Depois disso tudo, para fechar com chave de ouro, a pediatra da UTI chega ao quarto, claro que educação a equipe não sabe o que é, e diz que todos os procedimentos necessários estão sendo tomados, que a mãe não se preocupe, que está recebendo muitas visitas e que quando o quarto estiver com menos gente ela conversará com a Mãe….e sai sem responder às perguntas que foram feitas para ela……

E aqui estamos hoje, graças ao meu bom Deus, nosso bebê está bem, em casa. Minha irmã também, apesar de ainda enfrentar umas complicações devido ao corte de sua bexiga…ainda sofre com esta barbeiragem.

Á equipe médica do Hospital e Maternidade, Respeito, Amor ao próximo e Amor à vida, são princípios básico para um bem viver em sociedade, para o seu bem viver espiritual. Vocês estão fazendo um desfavor para a sociedade manauara.

 

Lamento muito!

Esta frase e relato não conseguem passar o vivido e o sentido……

Anúncios

Trânsito em Manaus

Mamães

O trânsito em nossa cidade não oferece a segurança que nossos pequenos necessitam, ou melhor, que a sociedade amazonense merece.

Temos inúmeras convenções (regras) nacionais de trânsito e nenhuma delas é seguida no trânsito amazonense. Nem mesmo o tratamento cordial, a gentileza, a educação é vista num trajeto.  As regras de trânsito existem, assim como toda regra/lei, para viabilizar a vida em sociedade. Para que não vivamos o caos instalado.

Devemos buscar um trânsito humanizado, pacífico, cordial. E dentro da lei.

Sair com seu filho é praticamente um ato de insanidade. Saio rezando em todo o trajeto porque só Deus para levar e trazer minha família em segurança. Porque não há regras seguidas que proporcionem uma viagem segura.

Vamos buscar, com pequenos gestos, introduzir a gentileza, educação e leis no trânsito amazonense.

E faço um apelo aos órgãos responsáveis, por favor, vamos fazer valer o Código de Trânsito. Vamos humanizar o trânsito amazonense!!!!